domingo, setembro 02, 2018

Convento dos Capuchos, Caparica - Destemidos num dia de inverno


Sara Simões


Em Março passado desafiei os meus queridos desenhadores da Casa da Cerca a experimentar outro local para desenharmos na margem sul. Fomos até ao Convento dos Capuchos na Caparica, enfrentando a ventania e as ameaças de chuva, em troca de uma vista para a foz do Tejo, do aconchego dos recantos do jardim, de umas espreitadelas ao interior do convento e de uma aproximação às estruturas reprodutoras dos ciprestes e dos pinheiros.

Eu foquei-me num arco do jardim. Impaciente por tentar ser rápida para fazer mais do que um desenho, exagerei um pouco na concentração dos pigmentos. Gostava de ter o arco e a araucária menos carregados e de ter gerido melhor o equilíbrio entre os vários planos.
Depois fui ao encontro dos outros sketchers e o César trazia um reconfortante lanchinho com chá de especiarias e biscoitos. Prolongou-se a degustação e a conversa e já não desenhei mais.

A Manuela esteve a contemplar a Caparica através do um arco.




O César e a Leonor desenharam as "flores" do pinheiro. A Lisete fez vários esboços do interior. A Isabel desenhou uma vista do jardim através de um outro arco e levou TPC: encantada por um fruto de cipreste bordado de líquenes delicados, combinou grafite com aguarela.


 

Isabel Constantino Gonçalves


O César já lá tinha estado a desenhar quatro anos antes.  

 



A Lisete chegou cedo e fez vários desenhos rápidos no interior do convento.
 

Rena a saltar

 
 

 
 
Uma rena a saltar.
Já tinha saudades de desenhar anatomia e por isso visitei a exposição Body Worlds - Animals Inside Out, na Cordoaria.