domingo, agosto 12, 2007

O fim-de-semana do basílico

Em Abril semeei basílico mas só agora desenhei as minhas plantinhas. Na semana passada abriram as primeiras flores e foi isso que me fez decidir a dedicar-lhes algum tempo neste fim-de-semana.

Nestes estudos não tive nenhum objectivo concreto para além de querer usar o desenho como forma de conhecer melhor o meu modelo. E divertir-me! No entanto fui aproveitando para explorar várias técnicas: umas familiares e outras relativamente novas para mim. Gosto de fazer estes estudos descontraidamente e sem demasiadas expectativas, dando espaço para a experiência e para o erro. Acho que é assim que mais aprendo o que resulta.





Flor: grafite e marcadores Tombow

Uma primeira abordagem para perceber a geometria de uma das florinhas minúsculas.



Ápice com folhas e ápice com inflorescência: marcador Papermate tipo futura.

Aqui quis trabalhar a forma e acentuar a informação sobre a estrutura da planta.


Ápice com inflorescência: marcador de ponta de pincel Faber-castel.

Neste desenho tentei trabalhar o claro-escuro característico das folhas muito texturadas sem usar tons médios.

Ápice com folhas: aguarela pintada com apenas uma cor (Sap green).

Este estudo é o meu preferido desta série sobre o basílico. Eu estava interessada na geometria das folhas encurvadas e bojudas e na forma como elas se comportam sob a luz. Decidi usar apenas três tons: o branco do papel para os brilhos, aguarela diluída para os valores intermédios e aguarela concentrada para as sombras.


Folha: pastéis secos sobre papel preto.

Aqui voltei a ocupar-me com a geometria e a luz da folha, com a dificuldade adicional de tentar reproduzir a cor numa técnica que ainda não domino facilmente (os meus brinquedos novos!).

De todos, este foi o desenho que me levou mais tempo e o único que me deixou cansada. Foi difícil acertar as tonalidades e luminosidades relativas com um número limitado de cores sobre a cartolina preta. O grau de definição dos pastéis é muito baixo em comparação com as outras técnicas que habitualmente uso e por isso tive de trabalhar num formato grande (ligeiramente maior que o A4) para encaixar toda a informação que eu queria tratar.

No final descobri que o fixador em spray que apliquei escurece ligeiramente as cores. Foi um estudo trabalhoso mas acho que o investimento valeu a pena porque percebi bastantes coisas sobre a técnica do pastel seco.

1 comentário:

isabel disse...

estive a ver o teu site e adorei,
os teus desenhos sao perfeitos ( já me tinha esquecido de como sempre desenhaste dem...)so posso dizer...qu fui uma burra por nunca ter ido ver nada(sorry) PARABÉNS!